01 setembro 2022

Redutora de pressão para água: consumos e conforto sob controlo

A redutora de pressão para água é um dispositivo que reduz e estabiliza a pressão da água na entrada da rede hídrica pública para a rede privada. É importante, porque evita que as oscilações de pressão prejudiquem os componentes a jusante da redutora, mas não só.

Num momento da história, em que é fundamental repensar o modo como consumimos os recursos naturais do planeta, irá descobrir que a utilização de uma redutora de pressão eficiente permitirá que poupe água, dinheiro e aumentará o seu conforto doméstico.

Como funcionam as redutoras de pressão para água? Como se instalam? Quais são as problemáticas principais associadas e quais as soluções? Para responder a estas questões, continue a ler e descubra como escolher a melhor redutora de pressão para água, mas lembre-se: é sempre recomendado dirigir-se a técnicos especializados e certificados para a manutenção da sua rede hídrica.

Neste artigo vamos abordar:

  • Como funciona uma redutora de pressão para água?

  • Como escolher a melhor redutora de pressão para água?

  • Como se regula a redutora de pressão para água?

  • Como montar uma redutora de pressão para água?

  • Problemáticas e soluções da redutora de pressão para água?

Como funciona uma redutora de pressão para água?

A redutora de pressão para água é uma válvula capaz de regular e manter estável a pressão no interior das redes de distribuição de água sanitária, garantindo a cada ponto de consumo (lavatórios, chuveiros, etc.) a correta distribuição de água quente e fria.

O mecanismo da redutora de pressão é essencialmente constituído por:

  • um comando de regulação

  • uma mola de contraste

  • uma membrana elástica ou um pistão

  • um obturador ligado à membrana através de uma haste

A redutora de pressão para água – mas o princípio é o mesmo para uma redutora de pressão para ar e, genericamente, para todas as redutoras de pressão – baseia o seu funcionamento no equilíbrio de duas forças opostas. Os movimentos são:

  1. O impulso da mola em direção à abertura do obturador
  2. O impulso da membrana em direção ao fecho do obturador

Funcionamento da redutora de pressão para água com distribuição

Quando se abre um ponto de utilização na rede hídrica, a força da mola torna-se superior à contrária, da membrana, e o obturador desloca-se para baixo abrindo a passagem da água. Quanto maior for o consumo de água, maior será a diminuição da pressão sob a membrana, provocando assim uma passagem mais elevada do fluido através do obturador.

Funcionamento da redutora de pressão para água sem distribuição

Quando o ponto de utilização estiver completamente fechado, a pressão a jusante aumenta e empurra a membrana para cima. Deste modo, o obturador fecha-se, impedindo a passagem do fluido e mantendo a pressão constante no valor de regulação. Uma diferença mínima na força exercida pela membrana relativamente à exercida pela mola, provoca o fecho do dispositivo.

Veja o vídeo: como funcionam as redutoras de pressão

 

 

As redutoras de pressão não são todas iguais: existem diversas tipologias e dimensões, como veremos no parágrafo seguinte.

As dimensões mais solicitadas são:

  • redutora de pressão 2 polegadas
  • redutora de pressão 1 1/2 polegadas
  • redutora de pressão 1 1/4 polegadas
  • redutora de pressão 1 polegada
  • redutora de pressão 3/4 polegadas
  • redutora de pressão 1/2 polegada

AQUI ENCONTRARÁ A GAMA COMPLETA DAS REDUTORASD E PRESSÃO PARA ÁGUA CALEFFI

Como escolher a melhor redutora de pressão para água?

A escolha da melhor redutora de pressão para água depende do âmbito de aplicação. 

Para instalações domésticas e industriais de pequena e média dimensão, pode utilizar-se a redutora de pressão de ação direta, com membrana ou pistão. Estes dispositivos, como explicámos no parágrafo anterior, beneficiam da ação de uma membrana – ou de um pistão – e de uma mola ligada a um obturador. A categoria inclui:

A presença do pistão garante maior robustez às solicitações devido a oscilações de pressão repentinas e a eventuais golpes de ariete. O pistão, contudo, é menos sensível à variação de pressão e, por isso, menos “reativo” na ação de estabilização da mesma; o tempo de reação é mais elevado em relação ao da membrana. Por esta razão, estes dispositivos raramente são utilizados como estabilizadores finais de pressão.

Nas instalações industriais de grandes dimensões, deverá focar-se nas redutoras estabilizadoras de pressão para água com circuito piloto. Este tipo de redutoras oferece um controlo mais rigoroso da pressão (especialmente com grandes capacidades e caudais elevados), mas é utilizado principalmente em aplicações industriais, devido às dimensões, complexidade e custos.

Por fim, existem âmbitos de utilização especiais (por exemplo, distribuidores de água, de bebidas e máquinas de café) para os quais aconselhamos os dispositivos específicos como a microrredutora de pressão inclinada para aplicações especiais.

A melhor redutora permite manter a pressão constante a jusante quando varia a pressão a montante. Tal traduz-se em vantagens concretas:

  • os componentes da rede hídrica privada mantêm a eficiência ao longo do tempo

  • ausência de ruídos incomodativos das tubagens devido a pressões demasiado elevadas ou irregulares

  • uma notável poupança hídrica e económica

Uma torneira normal, se não for dotada de dispositivos de limitação do fluxo, fará fluir mais água quando a pressão a montante aumentar. Pressões elevadas causam caudais de água maiores relativamente às necessidades reais do utilizador e, consequentemente, um desperdício energético e de água potável.

Na edição número 37 da Revista Hidráulica, aprofundamos o tema e, sobretudo, poderá descobrir como uma redutora de pressão para água incide na poupança hídrica.

Como se regula a redutora de pressão para água?

A redutora de pressão para água é geralmente dotada de um elemento de regulação e pode ser de dois tipos:

  • a redutora regulável que deve ser regulada após ter sido montada na instalação. Utilizar o orifício de regulação: rodando no sentido horário, o valor de regulação aumenta, enquanto que no sentido antihorário, o mesmo diminui. É importante que se tenha instalado um manómetro a jusante para ser possível a verificação do valor de regulação. 
  • a redutora pré-regulável que pode ser regulada antes da montagem, por meio de um manípulo com indicador do valor de regulação. Para aumentar a regulação, basta rodar o manípulo no sentido horário. Após a montagem, a pressão da instalação colocar-se-á automaticamente no valor regulado e poderá ser verificada através de um manómetro.

Lembre-se que a pressão ideal da água no âmbito doméstico deve estar compreendida entre um mínimo de 1.5 m e um máximo de 3 bar.

Descarregue gratuitamente o catálogo técnico das redutoras de pressão para água 

Como instalar uma redutora de pressão para água?

A instalação correta de uma redutora de pressão para água prevê algumas regras básicas:

  • escolher um local protegido do frio e do gelo para evitar bloqueios que poderão colocar a instalação em crise;

  • antes de a montar, abrir todas as torneiras de distribuição para limpar a instalação e expelir o ar que permanece nas tubagens;

  • instalar um filtro a montante da redutora de pressão: retém as partículas e as impurezas que de outra forma poderiam bloquear quer este quer outros dispositivos na instalação;

  • instalar a redutora de pressão a jusante do contador;

  • instalar quer a montante quer a jusante da redutora de pressão duas válvulas de interceção com a finalidade de simplificar a manutenção do dispositivo;

  • é possível montar a redutora em qualquer posição, exceto virada para baixo.

    As redutoras de pressão são geralmente instaladas na entrada da rede doméstica para reduzir a pressão da água proveniente da rede pública, imediatamente após o contador volumétrico de utilização. Se a rede a servir for extensa, não é suficiente uma única redutora na entrada e será necessário recorrer ao posicionamento de várias redutoras ao longo da distribuição para garantir a pressão correta em todos os pontos de consumo. 

    A montagem não é particularmente complexa, mas é sempre preferível que seja executada por um técnico especializado e certificado. 

    As configurações de instalação mais frequentes são:

  • instalação individual. Utiliza-se quando a relação de redução – que subsiste entre a pressão na entrada e a de saída do componente – é inferior a 3:1, condição recomendada para evitar o surgimento de problemas de cavitação.

  • instalação em paralelo. Utiliza-se quando o caudal solicitado pelos pontos de utilização é muito variável e pode atingir valores bastante inferiores relativamente aos de projeto; esta configuração permite garantir um valor de pressão estável a jusante mesmo com caudais baixos; 

  • instalação em série (duplo estádio). Utiliza-se quando a pressão inicial é elevada, quando a relação de redução é maior de 3:1 ou quando a pressão na entrada flutua consideravelmente.

Se desejar aprofundar a temática, por favor consulte:

ESQUEMA DE INSTALAÇÃO REDUTORAS DE PRESSÃO APLICAÇÕES DOMÉSTICAS

Problemáticas da redutora de pressão para água

Normalmente, a redutora de pressão para água tem um tempo de vida longo, sendo suficiente uma manutenção regular, uma verificação por ano, para assegurar um sistema eficiente.

Existem, contudo, algumas problemáticas que podem comprometer o funcionamento correto da redutora de pressão. Vejamos quais são as principais.

O fenómeno da cavitação

O fenómeno da cavitação, típico das instalações hidráulicas, manifesta-se com a formação de pequenas bolhas de vapor, cujo rápido colapso pode provocar danos às tubagens e aos componentes.

Para evitar o surgimento do fenómeno da cavitação no interior do componente, recomendamos que se mantenha a relação entre a pressão máxima a montante e a pressão regulada a jusante num valor não superior a 3.

Sendo necessário, por exemplo, reduzir o valor de pressão a monte de 36 bar para um valor a jusante de 4 bar, o dimensionamento correto prevê a utilização de duas redutoras de pressão em série. Se desejar aprofundar, abordámos aqui o fenómeno da cavitação.

Fluxo de água fraco ou ausente

Verificámos que quando a pressão da água proveniente da rede hídrica pública é demasiado forte, uma redutora de pressão reduz, estabiliza e, por fim, protege o ponto de utilização.

O que fazer pelo contrário quando sai pouca água? As causas podem ser variadas:

  • a obstrução causada por resíduos e calcário na torneira;
  • uma perda de água ao longo do sistema hídrico;
  • o estreitamento de um tubo;
  • o caudal da rede é demasiado baixo devido a um subdimensionamento da rede de alimentação no ponto de consumo ou por uma queda dos recursos hídricos. Um reservatório de acumulação poderá ser a solução: falámos disso aqui.
  • uma regulação não correta da redutora de pressão. A rede hídrica doméstica deve assegurar o caudal nominal previsto em cada ponto de consumo de água, independentemente das necessidades dos utilizadores e das condições de funcionamento. Por este motivo, deve manter-se e assegurar uma pressão no ponto de distribuição compreendida entre 1,5 e 3 bar. Este é o intervalo ideal para cada torneira e para cada aparelho sanitário. Em caso de pressão inferior, é necessário intervir.

Perda de água pela membrana

Devido ao desgaste, é possível que, com o tempo, a membrana da redutora de pressão se danifique. Neste caso, deve substituir-se o cartucho extraível que contém a membrana: aqui encontrará os melhores cartuchos de substituição para redutoras de pressão para água.

Lembre-se que a manutenção periódica por parte de pessoal técnico especializado e a escolha de dispositivos de qualidade certificada reduzem significativamente a probabilidade de avarias imprevistas e consequentes interrupções do sistema.

Last modified: 
27 outubro 2022
Hidrossanitário
PARTILHAR EM: