12 julho 2017

Por que motivo se ouve um forte ruído na instalação quando se fecha a torneira?

Frequentemente, quando se projeta uma instalação, em particular para a distribuição de água sanitária, subestima-se o problema do golpe de aríete, isto é, a propagação de sobrepressões e depressões ao longo das condutas.

De facto, este fenómeno é capaz de provocar problemas como:

  • Fortes ruídos e vibrações;
  • Rutura dos tubos;
  • Danos nos reservatórios;
  • Rutura das membranas dos hidroacumuladores e dos vasos de expansão;
  • Deterioração das válvulas de interceção, retenção e regulação;
  • Possível rutura das torneiras de distribuição.

O golpe de aríete pode verificar-se em todas as condutas fechadas, no seguimento de paragens ou acelerações bruscas do fluido que as atravessa.

Estas mudanças repentinas no movimento da água resultam do fecho rápido de válvulas com tempos de fecho breves e torneiras de alavanca (por exemplo, as clássicas misturadoras monocomando de lavatório presentes praticamente em todas as habitações) ou da paragem da bomba de circulação.

Para tornar clara a importância das sobrepressões que se podem gerar no interior das condutas, basta pensar que numa tubagem de cobre de ½”, com uma velocidade inicial da água de 2 m/s e um tempo de fecho de 14 ms, é possível obter-se um aumento da pressão de quase 30 bar.

 

Para evitar que este tipo de sobrepressões se descarreguem nos vários componentes da instalação, gerando as problemáticas referidas em cima, deve instalar-se um dispositivo amortecedor de golpe de aríete, como recomendado pela norma UNI 9182.

Estes dispositivos podem ser de tipo mecânico (de mola) ou hidropneumático (com almofada de ar permanente ou reajustável).

Os dispositivos de tipo mecânico, como a Série 525 ANTISHOCK, são constituídos por um cilindro (1) dividido em duas câmaras (2) e (3) e por um pistão de dupla vedação O-ring (4).
A câmara fechada (2) contém ar e funciona como amortecedor, enquanto aquela aberta (3) está ligada diretamente à tubagem e enche-se de água. A mola (5), contida no interior da câmara fechada, ajuda a compressão do ar a balancear a pressão da água na entrada da câmara aberta, absorvendo assim os golpes de aríete que se verificam nas condutas antes que estes possam interferir com os outros componentes da instalação. A instalação correta destes dispositivos prevê o seu posicionamento o mais próximo possível ao ponto em que se pode gerar o golpe de aríete.

 

 

A gama ANTISHOCK é composta por dois modelos:

  • O clássico amortecedor de golpe de aríete que pode ser instalado no topo do coletor de distribuição ou na tubagem graças a um tê de ligação;
  • O amortecedor de golpe de aríete para instalação sob lava-loiças e sob lavatórios, configurado especificamente para ser instalado diretamente entre a tubagem flexível da torneira e as válvulas de interceção de parede.

 

 

 

 

Comentários