20 dezembro 2018

Como funcionam os purgadores de ar automáticos?

A presença de ar no interior da instalação representa um grande perigo para o funcionamento do sistema, já que poderá criar fenómenos corrosivos nos vários componentes, ou cavitação no interior dos circuladores, para além do (facilmente detetável) ruído.

Prestar atenção durante o enchimento e prever a montagem de purgadores de ar na instalação são seguramente os primeiros passos a dar; todavia, em alguns pontos específicos, como o topo de colunas montantes, não são suficientes para a remoção total do ar.

Nestes casos, pode recorrer-se aos purgadores de ar automáticos, dispositivos capazes de extrair o ar da instalação, sem a intervenção de um operador.

Estes dispositivos são normalmente instalados nos pontos mais altos da instalação, ou seja, em zonas de "calmia" onde as microbolhas de ar, diluídas na água, se fundem e se separaram do fluido.

Valvole di sfogo aria

 

 

O ar que se separa do fluido, entrando no corpo da válvula (1), faz com que a boia (2) interna se movimente em direção à parte inferior do dispositivo. Este movimento, graças à ação de uma haste (3), faz abrir o obturador (4) da via de descarga e o ar pode ser, assim, expulso da instalação.

Após o ar ter sido extraído, o fluido vetor enche novamente a câmara, e a boia, que tem um peso inferior ao da água, é levantada, permitindo o fecho do obturador por meio da ação da mola de contraste.

Por segurança, estas válvulas também são dotadas de tampa higroscópica que, graças aos discos especiais de fibra de celulose, evita a fuga de água.

 

 

 

Nos purgadores de ar de dimensões superiores, como a série 501 MAXCAL, foi ainda incorporado um filtro de malha fina para proteção do obturador, de forma a evitar que resíduos indesejados possam comprometer o seu funcionamento.


 

 

Comentários